segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

E tudo na vida tem um porque...


Oi galera, tudo bem? Bom, esse é meu novo blog e nada mais justo eu me apresentar. Meu nome é Maria Carolina, mas eu não curto muito essa combinação, então as pessoas me conhecem mais como Carol Magalhães. Bom, eu tenho 17 anos e estou passando pela fase de está acabando a escola e eu estou ficando adulta !! 
É um momento muito (tenso) diferente na vida. E é sim tudo aquilo que falam, você sente medo, tristeza e felicidade ao mesmo tempo. Eu tive um grupo que convivi desde o primeiro ano, minha melhor amiga e meus melhores amigos, (no total eram 7 pessoas) com eles eu dividi toda aquelas coisas gostosas de se estudante, estresses, risadas, palhaçadas, estudos, pescas, revoltas e tudo mais. E no terceiro ano tem uma preocupação que é chamada VESTIBULAR, o terror dos estudos, dos medos e de tudo. Você ouve essa palavra o ano todo e se prepara o ano todo para o grande momento, e com certeza a pressão na prova e a espera do resultado, é tudo muito TENSO, tenso mesmo!!!!! Graças a Deus e aos meus estudos eu passei no vestibular em segundo lugar no curso de Enfermagem na melhor faculdade particular do Estado que eu moro. 

Pausa para a história da escolha do curso.
Desde os 6 anos eu sonho em fazer Medicina, o motivo dessa escolha surgiu quando minha mãe me levou para ver ela fazendo, como de costume, suas boas ações (levar presentes de Natal) em um dos hospitais de câncer para crianças em São Paulo. Quando eu vi aqueles homens de jaleco branco e nariz de palhaço brincando com aquelas crianças tão debilitadas, foi uma cena tão bonita e emocionante que eu descobri que eu nasci para aquilo. Ser médica. Daí então eu comecei a brincar sempre de médica (meu jaleco é o roupão, o carimbo era a caixa de fósforos, e claro, eu tinha todas as maletas possíveis e imagináveis com aquelas coisas de médico.). Desde então eu nunca desisti do sonho, mas eu fui crescendo, fui vendo a verdadeira realidade dos médicos (estou falando dos hospitais públicos) e fui vendo que eles não eram tão legais quanto aqueles eu conheci, e decidi, mais do que decidido, que me tornaria médica, DIFERENTE dos que eu vejo hoje em dia, e sim como aqueles que eu conheci a exatos 11 anos atrás. Mas mais uma vez eu fui crescendo e vendo outra realidade, dessa vez era a da concorrência e da dificuldade de adentrar esse curso. Eu só tive oportunidade de entrar em escola particular na sétima série, então eu tive muitas dificuldades de início pela defasagem do ensino público, e isso quase fez eu desistir do meu grande sonho, mas eu corri atrás me superei, me tornei líder de sala, querida dos professores e influente na escola. Eu sabia que cada coisa que eu poderia participar e me dedicar ajudariam na minha formação. Então tentando a primeira vez no segundo ano (para treinar) o vestibular de medicina vi o quanto era desleal competir com escolas e pessoas tão boas e vi que a preparação tinha que ir muito além daquela que eu tinha, ainda o terceiro ano eu fiquei maluca na primeira etapa, entrei em pré-vestibular, continuei meu inglês (o qual faço desde o primeiro ano) e claro, fazia a escola, só que tudo virou uma grande loucura porque eu não tinha tempo para respirar e acabou que eu não tinha tempo de fazer minhas atividades, e tive crises sérias de enxaqueca, então desisti dessa loucura, porque assim não iria dar certo, e fiquei na escola e no inglês (o que já foi bem pesado, pois tinha aulas regulares a tarde na escola, provas todas as quartas, milhões de seminários, simulados e ainda o inglês.) mas aí a correria toda acabou, passei de ano, passei no vestibular e matriculei, no curso de enfermagem. Por quê? Porque eu sou nova, e eu não queria ficar 3 ou 4 anos no pré-vestibular para entrar em medicina, eu prefiro passar esse tempo para me formar em alguma coisa que me encaminhe e me ajude, e não, não serei uma enfermeira frustrada, porque o que eu sempre quis é colocar a mão na massa (não comentei, mas desejo trabalhar na emergência, futuramente passar no concurso da Samu, que dura 2 anos, e se Deus permitir e eu passar no concurso, trabalhar nos Bombeiros.) e fazer o que eu tenho que fazer para ajudar a quem precisa. Pretendo sim trabalhar em um hospital público. Vocês devem estar se perguntando, “qual a especialidade?”, e bom, eu ainda não me decidi, acho que será uma coisa durante o curso, o que eu me ver mais atraída, talvez na área de emergências mesmo, já que é meu sonho, mas mais pra frente eu posto aqui. 
Bom, foi mais ou menos assim que eu fui parar na faculdade de Enfermagem e diante dessas coisas todas eu decidi fazer um Diário de Faculdade para escrever aqui minhas alegrias, minhas tristezas, as minhas futuras dificuldades.
 xoxo, Carol Magalhães. 

1 comentários:

Blog Oficial on 16 de janeiro de 2016 18:10 disse...

AI QUE TUDO ESSE SEU BLOG!!!AMEI ESSE ROSA!!!

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.
 

Meu Diário de Faculdade Copyright © 2009 Girlymagz is Designed by Bie Girl Vector by Ipietoon